V I D A




V I D A

Como a vida é frágil,
Parece ser um único fio que segura nossa existência
E pensar nisso me levou a refletir sobre alguns conceitos, algumas experiências,
Sobre o amor, por exemplo,
O amor não é um sentimento propiciado pelo tempo,
Mas sim pela experiência e pelos momentos que dois vivem juntos
O amor não é trazido pela convivência, mas pelos momentos marcantes da vida
Não existe um critério para senti-lo, mas sim uma gama de emoções que o cultivam e o permitem florescer
Ele é mutante, se manifesta de várias formas e nos permite exercê-lo também de várias formas
Talvez seja o sentimento mais composto, mais complexo e certamente é misto, acompanhado de outros
Como a saudade, como a atração física, como a cumplicidade
Talvez seja piegas dizer, mas acredito que ele seja sim o combustível para a vida
E talvez também a chave que precisamos no fim
Para partir com a consciência tranqüila de ter deixado um legado
Para poder responder às perguntas que os deuses nos fazem quando chegamos no outro plano
Você teve alegria na sua vida?
Você proporcionou alegria a alguém?
São essas as perguntas que os egípcios acreditam ser o grande julgamento, a chave para ir para o idealizado paraíso
96% por cento das pessoas, segundo uma pesquisa, não gostariam de saber o dia da sua morte
Os outros 4%, acredito eu, não tem consciência do que seria ter essa informação
Por isso digo que a vida é um fio delicado
Justamente por não sabermos quando esse fio se rompe
É aí que está a mágica da vida
A expectativa do amanhã, que nos faz tentarmos ser o melhor hoje, agora, nesse exato minuto
Pois não sabemos se no próximo minuto ou segundo poderemos tentar ser melhores.


BAZÉ, SETEMBRO 2008

SOUNDTRACK: d-_-b *DRIVE* {INCUBUS}

1 comentários:

  Beth Cerquinho

17 de dezembro de 2009 23:08

Aaaaaaaaaaaaamei.
Parabéns pelo blog...
Abraço.